Nirema

MENU NIREMA

 

 

SEMANA DA ÁFRICA 2014

APRESENTAÇÃO COMISSÃO ORGANIZADORA PROGRAMAÇÃO CONVIDADOS PARA SABER MAIS

CONVIDADOS

ALBERTO DA COSTA E SILVA

Alberto da Costa e Silva formou-se Diplomata pelo Instituto Rio Branco em 1957. É Doutor Honoris Causa em Letras pela Universidade Obafemi Awolowo (ex-Universidade de Ifé), da Nigéria, em 1986, e em História pela Universidade Federal Fluminense, em 2009, e pela Universidade Federal da Bahia, em 2013. Representou o Brasil em reuniões internacionais, foi delegado do Brasil na reunião da Comissão Econômica das Nações Unidas para a África, em Adis Abeba, em 1961. Foi professor do Curso de Aperfeiçoamento de Diplomatas do Instituto Rio Branco em 1971-1972. Presidente da Banca Examinadora do Curso de Altos Estudos do Instituto Rio Branco, de 1983 a 1985, e vice-presidente de 1995 a 2000. Foi membro do Conselho Nacional de Direito Autoral, em 1984 e 1985; membro do Comitê Científico do Programa Rota do Escravo, da UNESCO, de 1997 a 2005. Foi vencedor do Prêmio Camões em 2014.

Publicações Recentes:
SILVA, Alberto da Costa. A enxada e a lança: a África antes dos portugueses. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992, 1996, 2006.
SILVA, Alberto da Costa. A manilha e o libambo: a África e a escravidão, de 1500 a 1700. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002, 2004. Prêmio Sérgio Buarque de Holanda da Fundação Biblioteca Nacional. Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, 2003.
SILVA, Alberto da Costa. Um Rio chamado Atlântico. A África no Brasil e o Brasil na África. Rio de Janeiro: Nova Fronteira 2003, 2005.

 

LEILA LEITE HERNANDEZ

Leila Leite Hernandez possui graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1971), Mestrado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (1980) e Doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade de Católica de São Paulo (1993). Desde 1998 é docente e pesquisadora de História da África do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo e desde 2005 é Professora Livre-Docente. Coordena o projeto "Tratos negreiros e as pequenas ilhas africanas", com um anexo sobre "As Migrações África-Europa", financiado pela Université de Gand, pelo Centro di Studi Sul Capo Verde e Sulle Piccole Isole, com colaboração da UNESCO. Também é coordenadora, no Brasil, do projeto Memória de África e do Oriente. Promovido pela Fundação Portugal - África (FPA), desenvolvido por um consórcio formado pela Universidade de Aveiro (UA); Departamento de Electronica, Telecomunicações e Informática (DETI-UA) e Instituto de Economia e Gestão (ISEG); e Centro de Estudos sobre África e Desenvolvimento (CesA). Trabalha com História da África, principalmente com os seguintes temas: colonialismos, resistências e diálogos, movimentos de independência e nacionalismos. 

Publicações Recentes:
HERNANDEZ, L. L. Os filhos da terra do sol: formação do estado-nação em Cabo Verde. SP: Selo Negro Ed., 2002.
HERNANDEZ, L. L. Memória e História: Administração para o Desenvolvimento. Praia (Cabo Verde): Secretaria do Estado da Administração Pública, 2011.
HERNANDEZ, L. L. A África na sala de aula- visita à história contemporânea. SP: Selo Negro Ed., 2012. (5ª Edição).

 

ELISÉE SOUMONNI

Desde o final dos anos 1960, o professor Soumonni vem realizando pesquisas na África Ocidental. Ele começou na Universidade de Ile-Ife (agora Awolowo University), onde recebeu seu Ph.D., em seguida, na Universidade Ahmadu Bello, em Zaria, e na Université Nationale du Benin, Cotonou. Atualmente é coordenador do Institut Béninois d'études et de recherche sur la diaspora africaine (IBERDA) e está encarregado de implementar o Projeto da UNESCO "Rota do Escravo", que estabeleceu uma instituição de pesquisa sobre a diáspora Africana na África Ocidental. O professor está também escrevendo um livro com o Professor Paul Lovejoy sobre a História da África Atlântica. Vários de seus projetos estabeleceram vínculos com a Universidade das Índias Ocidentais, com a Universidade de Hull, a Universidade Emory, e várias instituições da América Latina.

Publicações Recentes:
SOUMONI, Elisée. “Algumas reflexões sobre o legado brasileiro em Daomé". Escravidão e abolição, vol. 22, 2001.
SOUMONI, Elisée. "A administração de um porto de tráfico de escravos: Ouidah no século XIX. In: Robin Law & Silke Strickrodt (eds.), Portos do Tráfico de Escravos (golfos de Benim e Biafra), Centro de Estudos da Commonwealth, da Universidade de Stirling), 1999.
SOUMONI, Elisée. “O material de origem local negligenciado para o estudo do tráfico de escravos e escravidão em Dahomey”. In: Robin Law (ed.). Fonte e Material para estudar o tráfico de escravos e a Diáspora Africana (Centro de Estudos da Commonwealth, Universidade de Stirling), 1997.

 

MARIANA CÂNDIDO

Mariana Candido (Ph.D. York University, 2006) é especialista na história da África Centro-Ocidental. Seus interesses incluem a história da escravidão; migração e trabalho forçado; o mundo do Atlântico Sul; e a diáspora Africana. É co-presidente da Organização Lusófona de Estudos Africanos e professora do Instituto Harriet Tubman para Pesquisa sobre as migrações globais dos povos africanos. Ela também é pesquisadora nos projetos "As raízes angolanas da Capoeira", Universidade de Essex / Reino Unido, e os "Escravidão e Formas de sociabilidade: Escravos Africanos em Mariana / MG, 1700-1750", Universidade Federal Fluminense / Brasil.

Publicações Recentes:
CANDIDO, Mariana. Um Porto Africano que escraviza e o Mundo Atlântico. Benguela e seu sertão.  New York: Cambridge University Press, 2013.
CANDIDO, Mariana. "Dona Aguida Gonçalves marchange à Benguela à la fin du XVIII siécle", Brésil (s). Ciências humaines et sociales, 1 (2012): 33-54.
CANDIDO, Mariana. Fronteras de Esclavización: Esclavitud, Comércio e Identidad en Benguela, 1780-1850. México: Colegio de Mexico Press, 2011.

 

YACINE DADDI ADDOUN

Yacine Daddi Addoun é professor assistente de Estudos Africanos e Afro-americanos. Ele recebeu seu Ph. D. pela Universidade de York, em Toronto, no Canadá, sua MA do I'INALCO em Paris e seu B.A da Universidade de Argel, na Argélia. Sua pesquisa se ??concentra em questões de escravidão e sua abolição na Argélia. Ele ministrou cursos sobre a história africana de 1800 até o presente, a escravidão no Oriente Médio e Norte da África, e do Islã na África. Ele é o co-editor de SHADD (Estudos em História dos Documentos da Diáspora Africano) do Instituto Harriet Tubman para Pesquisa sobre as migrações globais dos povos africanos.

Publicações Recentes:
ADDOUN, Yacine Daddi, HALL, Bruce S. Hall. “The Arabic Letters of the Ghadames Slaves in the Niger Bend, 1860-1900”. In: Alice Bellagamba, Sandra Greene, Carolyn Brown and Martin Klein (Eds.), African Slavery/African Voices. New York: Cambridge University Press, 2013.
ADDOUN, Yacine Daddi. New Directions in Teaching Slavery and the Slave Trade. Trenton, NJ: Africa World Press (co-edited with Benjamin Bowser), 2012.
ADDOUN, Yacine Daddi, LOVEJOY, Paul E. Commerce and Credit in Katsina in the Nineteenth Century. In: FALOLA, Toyin, BROWNELL, Emily. Africa, empire and globalization: essays in honor of A.G. Hopkins. Durham: Carolina Academic Press, 2011.

 

DAVID MARINHO

Possui graduação em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2010) e especialização em História da África pelo IUPERJ/UCAM (2012) e Mestrado pela PUC-Rio (2014). Tem experiência na área de História, com ênfase em História Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: Cultura da Mídia, Cinema, Oriente Médio e História da África. 

Publicações Recentes:
LIMA JÚNIOR, David. A África Ocidental Francesa e o Surgimento do Cinema na África Negra. In: XXVII Simpósio Nacional de História - Conhecimento histórico e diálogo social, 2013, Natal. Anais do XXVII Simpósio Nacional de História, 2013.
LIMA JÚNIOR, David. O surgimento do cinema na África negra: descolonização e imperialismo francês. In: V Simpósio de Política e Cultura: Culturas Políticas e Práticas Sociais, 2012, Vassouras. V Simpósio de Política e Cultura: Culturas Políticas e Práticas Sociais, 2012. p. 280-291.
LIMA JÚNIOR, David. O exílio através da cultura da mídia - Persépolis e a Revolução Iraniana. In: IX Congresso ALADAA-B, 2008, Rio de Janeiro. IX Congresso ALADAA-B - Sociedade Civil Global: Encontros e Confrontos, 2008.

 

PEDRO RAJÃO

Atualmente está produzindo e dirigindo o documentário Anikulapo sobre o músico nigeriano Fela Kuti.

 

JANAÍNA PEREIRA OLIVEIRA

Janaína Oliveira possui graduação em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1998), mestrado (2001) e doutorado (2006) em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Desde 2008, realiza pesquisas centradas na reflexa~o sobre Cinema Negro, no Brasil e na dia´spora, e sobre as cinematografias africanas, sempre buscando conexo~es que possam incidir tambe´m na a´rea da educaça~o das relaço~es e´tnico-raciais. Tem experiência na área de História, atuando principalmente nos seguintes temas: teoria da história, história dos negros e negras no Brasil, historiografia e história da África, cinematografia afro-brasileira, cinematografia africana, educação das relações étnico-raciais e aplicabilidade da lei 10.639/03. Atualmente coordena o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (NEAB) do IFRJ Campus São Gonçalo e o Fórum Itinerante de Cinema Negro (www.ficine.org). 

Publicações Recentes:
 OLIVEIRA, J. P. ; ARAUJO, V.L. . Teoria da História I. 1. ed. Brasília: MEC, 2011. v. 1. 150p.

 

ALYXANDRA GOMES NUNES

Alyxandra Gomes é professora do Curso de Letras - Inglês da Universidade do Estado Bahia e também doutoranda em Estudos Étnicos & Africanos no Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Universidade Federal da Bahia. Fez o Mestrado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (2005) com dissertação sobre Literatura Africana, em especial sobre Chinua Achebe e Graduação em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente desenvolve pesquisa sobre a escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie e a guerra de Biafra. Foi coordenadora do Programa Holandês Sephis no Brasil, colaborando para o intercâmbio internacional de acadêmicos no Sul Global. Faz parte do corpo editorial do Pambazuka News, divulgando informações sobre África Lusófona e Brasil.

Publicações Recentes:
NUNES, A. G.; CARVALHO, S. Relato de Experiência: A contação de histórias africanas pelo grupo Karinana Ua Karingana. In: Tunde Babawale, Akin Alao, Felix Ayoh'Omidire, Tony Onwumah. (Org.). Teaching and Propagating african and diaspora history and culture. 1ed. Lagos: CBAAC, 2009, v. 1, p. 735-744.
NUNES, A. G. O Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil e a permanência da questão racial. Pambazuka News (Ed. Português), Brasil, 07 fev. 2009.

 

ENEIDA LEAL CUNHA

Eneida Leal é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Católica do Salvador (1972), tem mestrado em Teoria da Literatura pela Universidade Federal da Bahia (1979) e doutorado em Literaturas de Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1993). Professora Titular de Literatura Brasileira da Universidade Federal da Bahia, atualmente é Professora Associada no Departamento de Letras PUC-RIO onde, desde 2011, é coordenadora adjunta do Programa de Pós-Graduação em Literatura, cultura e contemporaneidade. Integra o quadro docente do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais do CEFET-RJ e tem grande atuação nas áreas de Letras e de Cultura e produção intelectual predominantemente sobre as questões identitárias que emergem na história e na contemporaneidade cultural e literária brasileira e de outros espaços lusófonos, especialmente nas interseções Brasil/África e Brasil/Portugal.

Publicações Recentes:
CUNHA, E. L. Do crânio da onça jabuti faz seu escudo: Silviano Santiago como intérprete do Brasil. Letterature d'America, 2011, v. 135, p. 67-78.
CUNHA, E. L. A emergência da cultura e da crítica cultural. Cadernos de Estudos Culturais, 2009, v. 1, p. 73-82.
CUNHA, E. L. O Brasil negro-mestiço de Jorge Amado. Nuevamérica. Buenos Aires, 2009, v. 1, p. 22-28.

 

IVANA STOLZE LIMA

Ivana Stolze possui graduação em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990), mestrado em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1994) e doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense (2000). Em 2010, concluiu pós-doutorado no Program of African Studies, pela Northwestern University. É pesquisadora da Fundação Casa de Rui Barbosa e professora da PUC-Rio. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Mundo Atlântico e do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: representações sobre a língua nacional, mestiçagem, escravidão, africanos, Brasil império e identidade. Entre 2011 e 2013 coordenou o Programa de Incentivo à Produção do Conhecimento e entre 2005 e 2010 o Programa de Iniciação Científica da Fundação Casa de Rui Barbosa. Atualmente é professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em História Social da Cultura da PUC-Rio.

Publicações Recentes:
LIMA, Ivana Stolze (Org.); Carmo, Laura do (Org.). História Social da Língua Nacional. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2008. 418p .
LIMA, Ivana Stolze. Cores, marcas e falas. Sentidos de mestiçagem no Império do Brasil. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003. 228p .
LIMA, Ivana Stolze. Por uma história social da língua nacional: algumas questões teóricas e metodológicas. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brazileiro, v. 454, p. 273-283, 2012.

 

RITA CHAVES

Rita Chaves é professora Associada de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, da USP. Possui graduação em Letras pela Universidade Federal Fluminense (1978), mestrado em Letras pela Universidade Federal Fluminense (1984) e doutorado em Letras (Letras Clássicas) pela Universidade de São Paulo (1993), com dois estágios de Pós-doutorado na Universidade Eduardo Mondlane, de Moçambique. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Outras Literaturas Vernáculas e atua principalmente nos seguintes temas: Literatura Angolana, Literatura Moçambicana, África, Angola, Literatura e Antropologia.

Publicações Recentes:
CHAVES, R.; MACEDO, T. (Org.). Passagens para o Índico - Encontros brasileiros com a Literatura Moçambicana. 1.ed. Maputo: Marimbique, 2012. v.1, 327p .
CHAVES, R.; CABAÇO, José Luís; MACÊDO, Tania (Org.). Via Atlântica. 21. ed. São Paulo: ECLLP / USP, 2012. v.1.,222p.
CHAVES, R.; LEITE, A. M.; APA, L. (Org.). Nação e narrativa pós-colonial I. 1. ed. Lisboa: Colibri, 2012. v.1. 445p.

 

LIA LARANJEIRA

Lia Laranjeira é bacharel em Ciências Sociais, com ênfase em Antropologia (UFBA), Mestre em Estudos Étnicos e Africanos (UFBA) e doutoranda no Programa de Pós-Graduação em História Social (USP). Tem experiência na área de Antropologia da Religião, atuando principalmente nos seguintes temas: Etnicidade, Religiosidade, Benim e Literatura de viagem. Colaborou com a produção do sítio eletrônico “Práticas religiosas na Costa da Mina: uma sistematização das fontes europeias pré-coloniais, 1630-1700” e com o Núcleo de Educação do Museu Afro-Brasil (São Paulo).

Publicações Recentes:
LARANJEIRA, Lia Dias. Representações sobre o culto da serpente no reino de Uidá: Um estudo da literatura de viagem europeia (séculos XVII e XVIII). Salvador: EDUBA, 2014. (no prelo)
LARANJEIRA, Lia Dias. As sacerdotisas do culto à Dangbe no reino de Uidá: um estudo da literatura de viagem europeia (século XVIII). Métis (UCS), v. 10, p. 99-116, 2011.
LARANJEIRA, Lia Dias. O culto da serpente nas práticas religiosas do reino de Uidá (séculos XVII e XVIII). In: Simpósio Nacional de História-ANPUH, 2011, São Paulo. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História-ANPUH, 2011.

 

ELEUSIO FILIPE

Professor do Departamento de História da Universidade Eduardo Mondlane. Desenvolveu o mestrado e o doutorado na Universidade de Minessota (Developement Studies and Social Change). Suas pesquisas são na área dos estudos culturais e literatura da África Lusófona.

Publicações Recentes:
FILIPE, Eleusio. “Where are the Mozambican Musicians?”: Music, Marrabenta, and National Identity in Lourenco Marques, Mozambique, 1950s--1975. University of Minnesota, 2012.
FILIPE, Eleusio. The Dam Brought us hunger. A History on the building of Cahora Bassa Dam. Work, Aldeamentos, and the social, economic and environmental transformations in Mutara and Sena, 1969-2000. University of Minnesota, 2003.

 

MARIZA DE CARVALHO SOARES

Doutora em História pela Universidade Federal Fluminense, pós-doutorado de um ano em História pela Vanderbilt University/EUA, complementado por dois pós-doc de um mês cada na GLC/Yale University (2007) e CLAS/Stanford University (2008). Em 2010 foi “professeur visitant” junto a École des Hautes Études en Sciences Sociales-EHESS, França. Aposentada em 2011 como Professor Associado III da Universidade Federal Fluminense continua a atuar como professora do PPGH da UFF, como Pesquisador 1d do CNPq. É autora do livro Devotos da Cor (Civilização Brasileira,2000) lançado nos Estados Unidos sob o título People of Faith (Duke University Press, 2011. O livro recebeu o premio BRASA 2011). De 2003 a 2005 atuou como coordenadora do projeto Ecclesiastical Sources in Slavs Societies dirigido por Jane Landers (Vanderbilt University), financiado pelo National Endowments for the Humanities-NEH. Entre 2005 e 2013 foi Member and Collaborating Scholar junto ao Harriet Tubman Institute (York University, Canada). De 2006 a 2009 dirigiu o projeto Acervo Digital Angola Brasil-PADAB, financiado pelo CNPq/edital Pró-África/2006 e atualmente incorporado ao IHGB. Foi coordenadora do NEAF-Núcleo de Estudos Brasil-Africa da UFF entre 2008 e 2012. É membro do Laboratório de História Oral e Imagem-LABHOI/UFF. A partir de 2010 iniciou projeto de pesquisa em andamento sobre a coleção de objetos africanos do Museu Nacional do Rio de Janeiro onde atua como pesquisadora colaboradora e curadora da coleção etnográfica africana.

Publicações Recentes:
SOARES, M. C. People of Faith.Slavery and African Catholics in Eighteenth-Century Rio de Janeiro. Durham: Duke University Press, 2011.
SOARES, M. C. (Org.). Rotas Atlânticas da Diáspora Africana: da baía do Benim ao Rio de Janeiro. 1. ed. Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2007. SOARES, M. C.; LANDERS, Jane; REIS, J. J. ; LAW, R.; FERREIRA, Roquinaldo . African Barbeiros in Brazlian Slave Ports. In: Canizares-Esguera, J; Childs, M. D.; Sidsbury, J.. (Org.). The Black Urban Atlantic in the Age of the Slave Trade. 1ed. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 2013, p. 207-230.

 

LUCILENE REGINALDO

Lucilene Reginaldo possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1991), mestrado em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1995) e doutorado em História pela Universidade Estadual de Campinas (2005), sendo atualmente professora da Área de Estudos Africanos - História da África da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Desenvolve pesquisas sobre os seguintes temas: irmandades negras no Império português, igreja e missões católicas em Angola e Congo. Tem experiência nas áreas de Teoria e Metodologia da História, História da Bahia e História de Angola e Congo, século XVIII.

Publicações Recentes:
REGINALDO, L. Os Rosários dos Angolas: irmandades de africanos e crioulos na Bahia setecentista. São Paulo: Alameda/FAPESP, 2011.
REGINALDO, L. Uns três congos e alguns angolas ou os outros africanos da Bahia. História Unisinos, v. 14, p. 01-09, 2010.
REGINALDO, L. Irmandades e devoções de africanos e crioulos na Bahia setecentista: histórias e experiências atlânticas. In: Stockholm Review of Latin American Studies, v. 1, 2009, p. 24-34.

 

LUIS NICOLAU PARÉS

Luís Nicolau Parés é graduado em Filologia Inglesa pela Universitat de Barcelona (1985), tem mestrado em Communication Arts pela New York Institute of Technology (1989) e PhD pela School of Oriental and African Studies, University of London (1997). Recebeu uma bolsa (John Hope Franklin Fellowship) para estagio pós-doutoral no National Humanities Center, North Carolina, USA (2010-11). É especialista na área da história e antropologia das populações afro-brasileiras e da África ocidental, desde 2004 é professor adjunto no Departamento de Antropologia da Universidade Federal da Bahia. Foi editor da revista Afro-Ásia entre 2005 e 2008. Atua principalmente nos seguintes temas: religiões africanas e afro-brasileiras, etnicidades africanas no Brasil e antropologia visual.

Publicações Recentes:
PARÉS, L. N. The Formation of Candomblé. Vodun History and Ritual in Brazil. 1. ed. Chapel Hill: The University of North Carolina Press, 2013.
PARÉS, L. N.; Sansi, Roger (Org.). Sorcery in the Black Atlantic. Chicago e Londres: The University of Chicago press, 2011. v. 1.
PARÉS, L. N. La formation du Candomblé. Histoire et rituel du vodun au Brésil. Paris: Karthala, 2011. v. 1.

 

MURILO SEBE

Murilo Sebe possui graduação em Bacharelado e Licenciatura em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2004), mestrado em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2007), e doutorado em Estudos Árabes pela Universidade de São Paulo (2013). Tem experiência na área de História, com ênfase em História Moderna e Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: Oriente Médio, África, Orientalismo, Vocabulário político árabe e árabes no Brasil. Atualmente é Professor Adjunto A de História Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Publicações Recentes:
MEIHY, M. S. B.; PARADA, M.; MATTOS, P. O. História da África Contemporânea. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora da PUC/Pallas, 2013., v.1., 205p .
MEIHY, M. S. B. As Mil e Uma Noites Mal Dormidas: a formação da República Islâmica do Irã. Rio de Janeiro: Usina de Letras, 2010.
MEIHY, M. S. B. Arabia Brasiliensis: Os estudos árabes e islâmicos no Brasil. Hamsa. Revista de Estudos Judaicos e Islâmicos, v. 1, p. 18-28, 2014.

 

RAGAD ASSAR

Graduada em História nas áreas de licenciatura e bacharelado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010). Mestranda em História social da Cultura na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Publicações Recentes:
ASSAR, R. A. S. A. A Irmandade Muçulmana: Nação sob cosmo islâmico. In: XXVII Simpósio Nacional de História, 2013. XXVII Simpósio Nacional de História - Conhecimento histórico e diálogo social.

 

TERESA CRUZ E SILVA

Teresa Cruz e Silva é Professora Catedrática, exercendo atividades de pesquisa e docência no Centro de Estudos Africanos e na Faculdade de Letras e Ciências Sociais, da Universidade Eduardo Mondlane – Maputo. Doutorado em História Social: Universidade de Bradford (Departamento de Estudos Económicos e Sociais e Pós-graduação em Estudos de Desenvolvimento – CEA/UEM). Foi Presidente do CODESRIA – Conselho para o Desenvolvimento das Ciências Sociais em África (2005-2008). Tem experiência na área de História Social, com enfoque de trabalho nos últimos anos em estudos urbanos; nacionalismo e movimentos nacionalistas, identidades sociais e redes de solidariedade, papel social da religião; mulher e género; comunidades costeiras de Moçambique.

Publicações Recentes:
CRUZ E SILVA, T. Zedequias Manganhela. Uma biografia contextualizada (1912-1972). Maputo: Marimbipe, 2014.
CRUZ E SILVA, T., BORGES COELHO, J.P., SOUTO, A.N. (Orgs.). Como Fazer Ciências Sociais e Humanas Em África: Questões Epistemológicas, Metodológicas, Teóricas e Políticas (Textos do Colóquio em Homenagem a Aquino de Bragança). Dakar: CODESRIA, 2012.
CRUZ E SILVA, T.; ARTHUR, M.J.; SITHOE, Y. & MUSSA, E. A Lei da Família e a Igualdade de Direitos: balanço da sua aplicação. Maputo, WLSA Moçambique, 2012.

 

 

 

menu

PUC-Rio

Publicações

Nirema no Facebook

No title

 

Principal

Topo

Nirema


 

Núcleo Interdisciplinar de Reflexão e Memória Afrodescendente - NIREMA

TEMDESIGN